sexta-feira, 22 de julho de 2011

Regras simplificadas de Volei

Os Participantes

Os jogadores que não estão em campo devem permanecer sentados no banco de reservas ou em sua área de aquecimento correspondente. O técnico e os outros membros da equipe devem estar sentados no banco de reservas, mas podem deixá-lo temporariamente. Os bancos de reservas das equipes ficam localizadas em cada lado da mesa do apontador, fora da zona livre. Somente aos membros integrantes da equipe é permitido sentar no banco de reservas durante o jogo e participar do aquecimento. Durante o jogo, os jogadores que não estação jogando podem realizar aquecimento sem bola na área que é determinada para esse fim, e também, durante os tempos técnicos e de descanso, na zona livre no fundo da sua quadra. Nos intervalos entres os setes, os jogadores podem usar bolas para aquecimento na zona livre.

Composição das equipes

É constituída de no máximo 12 jogadores, um técnico, um assistente técnico, um preparador físico e um médico.
Um dos jogadores é o capitão da equipe e como tal deve ser indicado na súmula do jogo.
Nas competições mundiais da FIVB o médico deve ser credenciado pela FUVB.
Cada jogador tem a opção de registrar, entre seus jogadores, um jogador especializado em defesa "Libero".
Somente os jogadores registrados na súmula podem entrar na quadra e participar do jogo. Após o capitão da equipe e o técnico terem assinado a súmula, o registro dos jogadores não pode mais ser mudado.

Uniforme

O uniforme dos jogadores consiste em camisa, calção, meia e tênis.
As camisas, calção e meias devem ser iguais e ter a mesma cor para todos da mesma equipe (exceto o Libero).
O ténis deve ser leve e flexível, com sola de borracha ou de couro, sem salto.
A camisa dos jogadores deve ser numerada de 1 a 18.
O número deve ser colocado no centro das camisas, tanto na frente quanto nas costas.

Redes e postes

ALTURA DA REDE

Uma rede é instalada verticalmente sobre o eixo da linha central. A altura da rede deve ser de 2,43 metros para equipes masculinas e de 2,24 metros para equipes femininas. Esta altura é medida no centro da quadra de jogo. As duas extremidades da rede (acima das linhas laterais) devem estar na mesma altura e não podem exceder a altura regularmente em mais de 2 metros.

Estrutura

A rede mede 1 metro de largura por 9,50 metros de comprimento e é feita em malhas na cor preta formando quadrados de 10 cm de lado.
Na parte superior há uma faixa horizontal branca, de 5 cm de largura, feita de uma tela dobrada ao meio e que é costurada ao longo do comprimento da rede. Em cada extremidade da parte superior da rede há uma abertura através da qual passa uma corda que a prende aos postes para mantê- lá esticada.
Dentro dessa faixa passa um cabo flexível que prende a rede aos pés do postes e mantém sua parte superior esticada.
Na parte inferior da rede (sem faixa horizontal) uma corda passa através das malhas a fim de amarrá-la aos postes e manter a parte inferior esticada.

Faixas laterais

As faixas brancas são colocadas verticalmente na rede, diretamente acima de cada linha lateral. Elas medem 5 metros de largura e 1 metro de comprimento e são consideradas partes integrantes da rede.

Postes

Os postes que sustentam a rede devem estar a uma distância de 50 cm a 1 metro de cada linha lateral. Eles devem ter uma altura de 2,55 metros e devem ser preferencialmente ajustáveis.
Os postes devem ser redondo, lisos e fixados ao solo. È proibido a fixação dos postes por meio de cabos. Toda instalação que apresente perigo ou obstáculos deve ser eliminada.

Bolas

A bola deve ser esférica, sendo sua capa feita de couro flexível ou couro sintético e a câmara interior feita de borracha ou material similar.
Sua cor pode ser uniforme e clara ou uma combinação de cores
O couro sintético e a combinação de cores das bolas usadas em Competições Internacionais Oficiais deverão obedecer aos padrões da FIVB.
A circunferência deve ser de 65 cm a 67 cm e o peso de 260 g a 280 g.
A pressão interna deve ser de 0,30 kg/cm a 0,325kg/cm (294,3 mbar a 318,82 mbar ou hPa) ou 0,423 Ibs a 0,456 Ibs.

Responsáveis pelas equipes

O capitão da equipe e o técnico são responsáveis pela conduta e disciplina de todos os membros de sua equipes.

Técnico (antes do jogo)

O técnico registra ou confere os nomes e números de seus jogadores colocados na súmula e assina em seguida.
Durante o jogo: Entrega ao apontador ou ao segundo árbitro, antes de cada sete, o formulário de ordem de saque devidamente preenchido e assinado.
Senta-se no banco de sua equipe o mais próximo possível do apontador podendo deixá-lo temporariamente;Toda ação de jogo de uma equipe contrária a estas regras ou que resulte em sua violação é uma falta de jogo e deve ser apitado por um dos árbitros. Os árbitros julgam as faltas e determinam a penalização conforme estas regras.
Se duas ou mais faltas são cometidas sucessivamente, somente a primeira é considerada.
Se duas ou mais faltas são cometidas simultaneamente, por dois adversários, considera-se uma FALTA DUPLA e o rally é repetido.

Antes do início do jogo

O capitão da equipe assina a súmula do jogo e representa sua equipe no sorteio.

Durante o jogo

O capitão da equipe desempenha suas funções de capitão enquanto permanece na quadra. Quando substituído, deve ser designado pelo técnico ou pelo próprio capitão, um jogador que desempenha as funções de capitão da equipe.
Este capitão será responsável pela equipe: até que seja substituído, o capitão retorne á quadra ou o sete termine.
Quando a bola estiver fora de jogo somente o capitão da equipe está autorizado a se dirigir aos árbitros para: solicitar explicações na aplicação ou interpretação das regras e submeter aos árbitros os pedidos e perguntas de seus colegas de equipe. Caso a explicação não o satisfaça, ele deve, imediatamente, comunicar ao primeiro árbitro que se reserva o direito de ter o seu desacordo registrado na súmula como protesto oficial ao final do jogo.
Pedir autorização para : trocar de uniforme, verificar as posições das equipes, verificar o piso, rede, bola, etc.

Conseqüências de uma falta

A conseqüência de uma falta é a perda de rally. O adversário da equipe que cometeu a falta ganha o rally com uma das seguintes consequência. Se a equipe adversária efetuou o saque, esta marca um ponto e continua a sacar;

Para vencer um jogo

Um jogo é ganho pela equipe que vencer três sets.
Caso haja empate 2-2 em sets, um set decisivo (5º) é jogado em 15 pontos, com uma diferença mínima de 2 pontos. Uma rede é instalada verticalmente sobre o eixo da linha central. A altura da rede deve ser de 2,43 metros para equipes masculinas e de 2,24 metros para equipes femininas.
Esta altura é medida no centro da quadra de jogo. As duas extremidades da rede (acima das linhas laterais) devem estar na mesma altura e não podem exceder a altura regularmente em mais de 2 metros.

No final do jogo (o capitão da equipe)

Agradece aos árbitros e assina a súmula para ratificar o resultado;
Confirma, registrando na súmula, algum desacordo expressado previamente por ele (pelo seu substituto no jogo) ao primeiro árbitro.

sábado, 9 de julho de 2011

Giba jogador de volei

Giba jogador de vôlei
O jogador giba é um dos melhores que já se viu e ele mostra toda essa habilidade nessas ligas e olimpíadas que se passaram e outras que irão vir mais para frente, e sua historia é bastante curiosa.
A historia desse jogador de vôlei começa a 16 anos atrás onde ele começou essa historia que é muito linda, ele começou a jogar vôlei depois de descobrir que tinha a doença leucemia e foi por esse motivo que esse jogador começou essa historias de anos.
Ele já esta há 14 anos na seleção brasileira e 2 anos em outros times somando uma historia de 16 anos, giba também já ganhou vários títulos que são bastante importantes no vôlei, sendo alguns deles na seleção e outros nos times de vôlei da Europa, atualmente ele joga num time russo onde esta mostrando como os brasileiros jogam com garra e muita determinação, ele também é casado com a jogadora de vôlei romena e tem dois filhos um chamado patrick e a outra chamada nicoll e essa é a historia desse grande jogador de vôlei.
Sua entrevista com a Maria Gabriela: (melhores momentos)



Por hj é só amanhã ou depois eu posto mais!!! Comentem e falem o q querem q poste!!!


terça-feira, 5 de julho de 2011

Alguns video de Jogos Oficiais de Volei


Ralis do jogo Unilever 3 x 1 Sollys/Osasco (29/01/2011)



Lindo ataque do Murilo - Pequim 2008



Brasil 25 X 21 Estados Unidos 4 set Liga Mundial de Volei Masculino 11/06/11 Sabado



domingo, 26 de junho de 2011

Noticias do Sollys Osasco.

Jogadoras do Sollys/Osasco realizam exames no HCor

junho 21, 2011
Nesta terça-feira, as jogadoras Karine e Ju Costa estiveram no HCor para realizar exames médicos. As duas atletas foram submetidas ao Sport Check-Up, um programa de diagnóstico clínico com enorme especialização e destinado à prevenção e à medicina do esporte. As jogadoras foram atendidas pelos mais experientes profissionais das áreas de cardiologia, nutrição, ortopedia e medicina do esporte. Este programa tem como responsável chefe o Dr. Nabil Ghorayeb, que nos últimos 28 anos atendeu mais de nove mil atletas.


“O custo benefício da realização desses exames é muito grande. Nós estamos fazendo os exames do Santos, São Paulo, Palmeiras e consultoria para vários outros. Esta medida que o Sollys está tomando é extremamente útil para garantir a saúde e a vida dos seus atletas, portanto, é um investimento que traz vários benefícios”, declarou. “Com essa decisão, o Sollys mostra que está valorizando a pessoa humana, o atleta e seu patrimônio esportivo. É um exemplo e a gente fica feliz em saber disso. Se eu fosse atleta do Sollys me sentiria protegido com meu clube investindo nesse aspecto”, enfatizou o doutor Ghorayeb.

Tanto Ju Costa quanto Karine ficaram cerca de cinco horas realizando todos os exames e saíram contentes com o fato da equipe de Osasco oferecer um tratamento médico com tamanha profundidade. “Nos clubes anteriores eu tive um respaldo, mas não tão detalhado quanto aqui. O trabalho que o Sollys está fazendo é o trabalho que todos os clubes deveriam fazer, mas infelizmente não são todas as estruturas que oferecem isso. Estar completamente saudável e estruturada dá uma tranqüilidade maior para entrar em quadra. É muito importante você saber que está muito bem de saúde”, afirmou a ponteira Ju Costa.


Além dos exames, as duas atletas foram avaliadas pelo cardiologista Nabil Ghorayeb. Em seguida, fizeram os seguintes exames: Ecocardiograma, ECG de Repouso, Teste Ergoespirométrico e Bioimpedância. Estes exames servem para prevenir e evitar problemas como arritmias cardíacas, dificuldades respiratórias e até mesmo paradas cardíacas. Essas complicações podem, inclusive, incapacitar o atleta de exercer sua atividade profissional. Ciente da importância desses exames, Karine exalta a preocupação demonstrada pelo Sollys e diz que ficou surpresa com o nível de detalhamento dos exames que realizou.

“Estou impressionada desde quando cheguei ao Sollys. Primeiramente pela postura do clube de estar se importando tão profundamente com a nossa saúde, pois, querendo ou não dependemos do nosso corpo para trabalhar. Essa não é a minha primeira experiência com exames, no entanto, neste nível de detalhamento acaba sendo. Tive algo parecido com esse tipo de tratamento somente na Itália, mas o que foi feito aqui no HCor foi algo de primeiro mundo”, afirmou. “Estou muito feliz, satisfeita e tranquila por saber que a minha saúde está sendo cuidada desta maneira e isso me deixa com uma expectativa ainda maior para o início do meu trabalho físico”, concluiu a levantadora. 

Super Liga Brasileira de Voleibol

Superliga Brasileira de Voleibol é a principal competição entre clubes de voleibol do Brasil, a melhor liga das Américas e uma das melhores do planeta. O torneio é organizado, atualmente, pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) e atualmente dá acesso ao seu campeão ao Campeonato Sul-Americano de Clubes. Uma das características históricas da Superliga foi a falta de uma padronização no sistema de disputa, que mudava a cada ano, assim como as regras e o número de participantes. Desde a temporada 2009/2010 a forma de disputa tem sido com uma fase classificatória em pontos corridos, turno e returno, quartas-de-final definidas em série melhor-de-três, semifinais em melhor-de-cinco e final em jogo único. Os direitos de transmissão da Superliga no Brasil pertencem a Rede Globo (transmite somente a final), em parceria com o Esporte Interativo, em TV aberta e ao SporTV em TV fechada.



História

Até a década de 1960, as competições de voleibol no Brasil só ocorriam em nível estadual, sem nenhuma competição nacional. Até 1978 também era disputada a Taça Brasil, um torneio que só reunia equipes dos estados do Rio de JaneiroSão Paulo e Minas Gerais. A partir de 1976, essa competição passou a ser aberta a equipes amadoras de todos os estados, sendo disputada a cada dois anos; apenas os campeões a partir desta edição são reconhecidos como campeões brasileiros de voleibol pela CBV. Em 1981 surge de fato o Campeonato Brasileiro com equipes profissionais. Na temporada 1988/1989 o campeonato passa a ocorrer entre o segundo semestre de um ano e o primeiro do outro, adaptando-se assim às principais competições mundiais, surgindo aLiga Nacional. A Superliga foi disputada pela primeira vez na temporada 1994/1995, com o fim da Liga Nacional. Ela é disputada tanto no masculino, como no feminino. O número de participantes varia a cada ano.

Times atuais

EquipeCidadeÚltima participaçãoTemporada 2009/2010
BMG/Montes ClarosMinas Gerais Montes ClarosSuperliga 2009/2010Vice-campeão
BMG/São BernardoSão Paulo São Bernardo do CampoEstreanteEstreante
CimedSanta Catarina FlorianópolisSuperliga 2009/2010Campeão
Fátima/Medquímica/Sogipa[nota 1]Rio Grande do Sul Porto AlegreSuperliga 2009/2010
Londrina/SercomtelParaná LondrinaEstreanteEstreante
Medley/Campinas[nota 2]São Paulo CampinasSuperliga 2009/2010
Pinheiros/SkySão Paulo São PauloSuperliga 2009/2010
Sada Cruzeiro VôleiMinas Gerais ItabiraSuperliga 2009/2010
Santo André/SpreadSão Paulo Santo AndréSuperliga 2009/201012º
São Caetano/Tamoyo[nota 3]São Paulo São Caetano do SulSuperliga 2009/2010
Sesi-SPSão Paulo São PauloSuperliga 2009/2010Campeão
Soya/Blumenau/MartplusSanta Catarina BlumenauSuperliga 2009/201011º
Vivo/MinasMinas Gerais Belo HorizonteSuperliga 2009/2010
Vôlei FuturoSão Paulo AraçatubaSuperliga 2009/201010º
Volta RedondaRio de Janeiro Volta RedondaSuperliga 2009/2010

Feminino

EquipeCidadeÚltima participaçãoTemporada 2009/2010
Banana Boat/Praia ClubeMinas Gerais UberlândiaSuperliga 2009/2010
BMG/MackenzieMinas Gerais Belo HorizonteSuperliga 2009/201011º
BMG/São BernardoSão Paulo São Bernardo do CampoSuperliga 2009/201010º
BrusqueSanta Catarina BrusqueSuperliga 2009/2010
Macaé SportsRio de Janeiro MacaéSuperliga 2009/201012º
Pauta/São JoséSanta Catarina São JoséSuperliga 2009/201013º
Pauta/São JoséSanta Catarina São JoséSuperliga 2009/201013º
Pinheiros/MackenzieSão Paulo São PauloSuperliga 2009/2010
São CaetanoSão Paulo São Cateano do SulSuperliga 2009/2010
Sollys/OsascoSão Paulo OsascoSuperliga 2009/2010Campeão
UnileverRio de Janeiro Rio de JaneiroSuperliga 2009/2010Vice-campeão
Usiminas/MinasMinas Gerais Belo HorizonteSuperliga 2009/2010
Vôlei FuturoSão Paulo AraçatubaSuperliga 2009/2010

Resultados (masculino)

SUPERLIGA BRASILEIRA DE VOLEIBOL MASCULINO
AnoCampeãoVice-campeãoTerceiro lugar
1994/1995
Detalhes
Rio Grande do Sul
Frangosul/Ginástica
São Paulo
Nossa Caixa/Suzano
São Paulo
Palmeiras/Parmalat
1995/1996
Detalhes
São Paulo
Olympikus/Telesp
São Paulo
Report/Suzano
Rio Grande do Sul
Frangosul/Ginástica
1996/1997
Detalhes
São Paulo
Report/Suzano
São Paulo
Banespa
São Paulo
Olympikus/Telesp
1997/1998
Detalhes
Rio Grande do Sul
Ulbra/Diadora
Rio de Janeiro
Olympikus
São Paulo
Report/Suzano
1998/1999
Detalhes
Rio Grande do Sul
Ulbra/Pepsi
São Paulo
Report/Nipomed/Suzano
Rio de Janeiro
Olympikus
1999/2000
Detalhes
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
Santa Catarina
Unisul
São Paulo
Banespa
2000/2001
Detalhes
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
Rio Grande do Sul
Ulbra
São Paulo
Palmeiras
2001/2002
Detalhes
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
São Paulo
Banespa
São Paulo
Lupo/Náutico
2002/2003
Detalhes
Rio Grande do Sul
Ulbra
Santa Catarina
Unisul
São Paulo
Banespa
2003/2004
Detalhes
Santa Catarina
Unisul
Rio Grande do Sul
Ulbra/SPFC
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
2004/2005
Detalhes
São Paulo
Banespa/Mastercard
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
Rio Grande do Sul
On Line
2005/2006
Detalhes
Santa Catarina
Cimed
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
São Paulo
Banespa/Mastercard
2006/2007
Detalhes
Minas Gerais
Telemig Celular/Minas
São Paulo
Cimed
São Paulo
Banespa/Mastercard
2007/2008
Detalhes
Santa Catarina
Cimed
Minas Gerais
Vivo/Minas
São Paulo
Ulbra/Suzano/Uptime
2008/2009
Detalhes
Santa Catarina
Cimed
Minas Gerais
Vivo/Minas
Minas Gerais
Sada Cruzeiro Vôlei
2009/2010
Detalhes
Santa Catarina
Cimed
Minas Gerais
Bonsucesso/Montes Claros
São Paulo
Pinheiros/Sky
2010/2011
Detalhes
São Paulo
SESI-SP
Minas Gerais
Cruzeiro
São Paulo
Vôlei Futuro

Títulos por clube

EquipeCampeãoVice-campeãoTerceiro lugar
Minas Gerais Minas441
Santa Catarina Cimed410
São Paulo São Caetano[nota 3]321
Rio Grande do Sul Ulbra320
São Paulo Suzano131
São Paulo Brasil Vôlei [nota 2]124
Santa Catarina Unisul120
Rio de Janeiro Olympikus [nota 4]111
Rio Grande do Sul Ginástica101
São Paulo Sesi-SP100
Minas Gerais Cruzeiro011
Minas Gerais Montes Claros010
São Paulo Palmeiras002
São Paulo Náutico001
São Paulo Pinheiros001
São Paulo Vôlei Futuro001
Rio Grande do Sul On Line001

Títulos por estado

EstadoCampeãoVice-campeãoTerceiro lugar
 Santa Catarina530
 Minas Gerais462
 São Paulo [nota 3] [nota 4]4512
 Rio Grande do Sul [nota 3]422
 Rio de Janeiro [nota 4]011

Resultados (feminino)

SUPERLIGA BRASILEIRA DE VOLEIBOL FEMININO
AnoCampeãoVice-campeãoTerceiro lugar
1994/1995
Detalhes
São Paulo
Leite Moça
São Paulo
BCN/Guarujá
Minas Gerais
L'Acqua di Fiori/Minas
1995/1996
Detalhes
São Paulo
Leite Moça
São Paulo
BCN/Guarujá
São Paulo
Sollo/Tietê
1996/1997
Detalhes
São Paulo
Leites Nestlé
São Paulo
Mizuno/Uniban
São Paulo
BCN/Osasco
1997/1998
Detalhes
Paraná
Rexona
São Paulo
Leites Nestlé
Minas Gerais
MRV/Minas
1998/1999
Detalhes
São Paulo
Uniban/São Bernardo
Paraná
Rexona
São Paulo
Leites Nestlé
1999/2000
Detalhes
Paraná
Rexona
Minas Gerais
MRV/Minas
São Paulo
BCN/Osasco
2000/2001
Detalhes
Rio de Janeiro
Flamengo
Rio de Janeiro
Vasco da Gama
Minas Gerais
MRV/Minas
2001/2002
Detalhes
Minas Gerais
MRV/Minas
São Paulo
BCN/Osasco
Paraná
Rexona
2002/2003
Detalhes
São Paulo
BCN/Osasco
Minas Gerais
MRV/Minas
Paraná
Rexona
2003/2004
Detalhes
São Paulo
Finasa/Osasco
Minas Gerais
MRV/Minas
Paraná
Rexona
2004/2005
Detalhes
São Paulo
Finasa/Osasco
Rio de Janeiro
Rexona/AdeS
Rio de Janeiro
Oi/Campos
2005/2006
Detalhes
Rio de Janeiro
Rexona/AdeS
São Paulo
Finasa/Osasco
Rio de Janeiro
Oi/Macaé
2006/2007
Detalhes
Rio de Janeiro
Rexona/AdeS
São Paulo
Finasa/Osasco
Minas Gerais
Fiat/Minas
2007/2008
Detalhes
Rio de Janeiro
Rexona/AdeS
São Paulo
Finasa/Osasco
São Paulo
Pinheiros/Blausiegel
2008/2009
Detalhes
Rio de Janeiro
Rexona/AdeS
São Paulo
Finasa/Osasco
São Paulo
São Caetano/Blausiegel
2009/2010
Detalhes
São Paulo
Sollys/Osasco
Rio de Janeiro
Unilever
São Paulo
São Caetano/Blausiegel
2010/2011
Detalhes
Rio de Janeiro
Unilever
São Paulo
Sollys/Osasco
São Paulo
Vôlei Futuro


Títulos por clube

EquipeCampeãoVice-campeãoTerceiro lugar
Rio de Janeiro Rio de Janeiro733
São Paulo Osasco492
São Paulo Sorocaba311
Minas Gerais Minas134
São Paulo Uniban100
Rio de Janeiro Flamengo100
São Paulo São Caetano012
Rio de Janeiro Vasco da Gama010
São Paulo Tietê001
Rio de Janeiro Automóvel Clube001
Rio de Janeiro Macaé Sports001
São Paulo Pinheiros001
São Paulo Vôlei Futuro001

Títulos por estado

EstadoCampeãoVice-campeão
 São Paulo89
 Rio de Janeiro63
 Paraná21
 Minas Gerais13